quarta-feira, 15 de maio de 2013

GENEBRA É UMA FESTA!








 
 
 
- Genebra? O que vai fazer em Genebra? Não sabe que lá ninguém fala português? Você é uma sonhadora, acha mesmo que essa viagem fará alguma diferença na sua carreira? Não vejo muita diferença em expor em Genebra ou na Lua....
 
Ouvi esse conselho amigável quando revelei que havia sido convidada para levar UM NEURÓTICO NO DIVÃ para representar o Brasil no 27 Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra, pela equipe do conceituado Varal do Brasil. Dinheiro? Eu não tinha da onde tirar. Vontade? Eu não tinha mais onde botar.
 
- Eu vou! - Ainda me lembro do dia em que fiz essa afirmação para a Cláudia Martins, minha melhor amiga, durante um almoço na cidade de Guarapari. - E se eu vendesse muitas canecas do Neurótico? Será que levantaria algum dinheiro para ao menos poder enviar os livros? E se eu conseguisse um patrocínio?
 
O convite chegou no dia 08 de janeiro, e desde então, algum motor começou a se movimentar dentro de mim e eu já não conseguia pensar em mais nada, senão em Genebra. - Eu vou, eu vou, eu vou. Não sei como ainda, mas eu vou! 
 
Ok, todo mundo já sabe mais ou menos sobre a trajetória até chegar o dia do embarque, mas como foi em Genebra? Será que fez mesmo diferença levar os meus livros para a Suíça, um país europeu, frio e distante onde nem todo mundo fala português? A resposta é SIM, fez toda a diferença do mundo! Para começar, há 240 mil portugueses morando na Suíça, somente em Genebra, são 40 mil. Há também muitos brasileiros, africanos, ingleses e suecos. Genebra abriga a matriz da ONU, é uma cidade cosmopolita que transpira cultura e arte. Os mais céticos podem não acreditar, mas em 3 dias quase todos os meus livros já haviam se esgotados. O material promocional também. Em Genebra vendi almofadas e canecas de Fiona, Neurótico e Alice para leitores e admiradores da arte encantados com a criatividade e o bom gosto brasileiro.
 
Teria sido a mesma coisa se eu tivesse levado meus livros para expor na Lua? Certamente não. Vender livros em Genebra foi legal, mas Genebra significou para a minha carreira muito mais do que vender livros. Numa feira desse porte você faz contatos. Conheci pessoas do meu meio, companheiros de ofício, compartilhei ideias, me aprimorei, me profissionalizei, fechei parceria com ilustradores e percebi que o trabalho que faço é tão bom quanto o dos grandes escritores nacionais e internacionais que tive a honra de conhecer.
 
Genebra dá status? Pode ser. Mas Genebra me deu muito mais do que isso. Genebra abriu as fronteiras para a minha arte. Não há mais limites. Circulei calmamente durante 5 dias pela feira, observando tudo com calma e atenção. Havia alguns estandes para livros de fantasia ou ficção fantástica...FIONA não deixou nada a dever. Fiona poderia estar ali em francês ao lado dos grandes nomes desse tipo de literatura. FIONA tem padrão internacional.   
 
UM TANGO PARA ALICE poderia tranquilamente ter sido publicado pela Gallimard (maior editora suiça), pois era tão atraente quanto todos os outros livros que vi expostos ali. UM NEURÓTICO NO DIVÃ, com seu formato de bolso, também não era diferente de livro nenhum. Fiquei satisfeita com as editoras que me publicam. Tanto a Modo Editora como a Oitava Rima produziram um trabalho de excelência totalmente compatível com o mercado internacional.   
 
Essa viagem acabou se estendendo e me levando a passear em Paris e em Lisboa. Vistei livrarias em ambos os lugares, e novamente afirmo, meus livros têm mesmo padrão internacional.
 
Quando viajamos pelo mundo, descobrimos que vivemos mesmo numa aldeia global. O que fazemos no Brasil é o que todo mundo faz pelo resto do mundo. Quem preza pela qualidade será aceito por grupos maiores.
 
O que faz a diferença entre uma estrela e uma pessoa comum? Além do brilho natural que não se compra e nem se conquista, há uma força interior que os impulsiona para o topo. Eu estava na Suíça, e fui realmente conhecer a Suíça em todo seu esplendor. Comprava um bilhete mais caro que me dava acesso ao transporte público suíço por 24 horas, e saía para conhecer o país. Entrei em castelos, visitei ruelas medievais, museus, andei pelas ruas mais agitadas, conversei com todo mundo em inglês, sentava nos cafés e gastava meus francos com a comida típica, caminhei pela avenida mais chique de Genebra e parei sem medo em frente às vitrines das lojas mais caras do mundo. Eu queria ver o que os artistas de ponta estavam produzindo em suas respectivas artes. Assisti a todos os programas do canal Fashion Tv do meu hotel em Chavannes, pois queria ver o topo da alta costura e tirei muitas ideias do mundo da moda para incluir no mundo da literatura. A arte abrange tudo.     
 
Gostei do frio de Genebra, gostei de usar botas de cano alto e perfume francês. Gostei da atmosfera de glamour desinteressado do primeiro mundo. Procurei o melhor entre os melhores. Algumas vezes os encontrei na rua. Um artista espetacular expondo sua arte em público pelas ruas de Genebra. Um investidor sueco responsável pela produção do filme australiano Crocodilo Dandi, sentado ao meu lado num ônibus suíço. Uma editora francesa que se interessou pelo meu trabalho, pois a editora chefe era psicanalista. Pessoas incríveis, pessoas como nós.
 
Genebra selou os meus livros novos por causa do lançamento internacional oficial. Genebra tornou-se a casa de FIONA e ALICE antes mesmo das obras serem divulgadas no Brasil. Genebra marcou uma parceria entre Tamara Ramos e o Ministério da Cultura do Brasil, que apoiou o projeto e bancou a viagem. Genebra me aproximou do escritor Paulo Coelho que esteve presente no estande do Varal no dia da minha sessão de autógrafos.    

Não é para todo mundo largar tudo e seguir um sonho maluco. Mas sonhos malucos todo mundo tem. O meu sonho mais maluco se tornou uma realidade mágica. Me emocionei quando recebi o crachá oficial do salão que me dava acesso vip e dizia: Magique!
 
Foi isso mesmo o que aconteceu em Genebra: mágica!
 
Agora estou aqui contando os dias para retornar ao Brasil e fazer um mega lançamento para os meus amigos com o alto estilo genebrino que a Suíça me deu. Logo logo nos veremos lá!  

6 comentários:

Isabel C S Vargas disse...

Fantástica sua história, Parabéns.Desejo sucesso em seu lançamento aqui no Brasil.
Abraço
Isabel Vargas

Anônimo disse...

Nooossa... Estou deveras bastante feliz e encantado com sua performática e incrível "aventura suíça". Seu relato é fantásticamente estimulante... Ainda quero conhecer seu estilo literário, pois, você alicia, simplesmente contagia... Como Alice. Muito sucesso!!! Desio

patriciacalhau1@gmail.com disse...

Querida Tamara, estou lendo seu blog e como sempre maravilhada. beijao

Jô Ramos disse...

Querida adorei, é isso mesmo. Genebra capital mundial da grana se rende a literatura. Bjs

Tamara Ramos disse...

Obrigada galera! Genebra foi mesmo uma experiência incrivel! Bjs para todos!

carmemdametto@globo.com disse...

Fantastica sua viagem!!! Trabalho de sua cabeça. Nem todo mundo passa tao bem e tao gostoso uma viagem.
Parabéns. beijão
Moi, je te trouve ici, dans la Flip.