quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

UM TANGO PARA ALICE


 
 
Já em fase de preparo na Editora Oitava Rima, meu próximo livro Um tango para Alice, nasceu de um encontro surpreendente entre todos os meus lados desintegrados.  Minha paixão pela psicanálise surgiu durante o momento de uma profunda crise pessoal que me obrigou a olhar-me  seriamente no espelho até que minha essência fosse totalmente desnudada.  
 
Todos nós usamos máscaras. Dificilmente deixamos à mostra aquilo que há de pior em nós. As  mulheres entendem isso melhor porque desde muito cedo tornam-se escravas do batom, do salto alto, da tintura de cabelo e, posteriormente, do botox e da cirurgia plástica. Milhões de artíficios sintéticos para encobrir o que de há mais feio e mais humano em nós.
 
Os homens usam máscaras menos óbvias, mas igualmente importantes. São ternos caros,  carros esportivos, cartões de visita, sapato italiano, perfume Armani e postura de herói. Artimanhas masculinas para esconder o que há de mais  fraco e vulnerável em nós.
 
Um tango para Alice é uma obra catártica. Uma mulher que se torna um  homem, e se apaixona por outra mulher, que vende seu corpo em troca de pesos nos bares de Buenos Aires. Um pintor inseguro que busca nos grandes mestres a inspiração para seus traços infantis. Um homem traído por uma mulher que é mais homem do que ele mesmo. Uma mulher dividida entre o amor de dois sexos opostos. A anima e o animus de Jung numa dança agressiva que irá perturbar o leitor.
 
Um tango para Alice recebeu o selo de aprovação da Dra.Carmem Dametto, que para mim, é a maior psicanalista e psiquiatra do Brasil. Os livros de Carmem não deixam nada a  dever aos grandes nomes da literatura analítica internacional e esclarecem os pontos mais difíceis com uma didática de tirar o fôlego do leitor. Usei a obra de Carmem como  referência para Um Neurótico no Divã, e agora tenho a honra de tê-la como madrinha de Um tango para Alice. Obrigada, Dra. Carmem, sou sua maior fã!
 
O tango de Alice não é uma música para crianças. Trata-se de um livro adulto, forte, curto e altamente sensual, que irá provocar o leitor a repensar suas escolhas de  vida. O tema  da liberdade pessoal sempre me atraiu muito. Os personagens de Um tango para Alice são iressistivelmente livres, boêmios e marginais causando atração e repulsa no leitor. Não há lugar para tabus, meias palavras, sutilezas verbais, politicamente correto, fantasias ingênuas e  canções de amor. Esse livro irá agradar apenas o leitor que acredita na busca da liberdade individual independente da moralidade de qualquer caminho.
 
Lançamento previsto para abril de 2013, pela Editora Oitava Rima.  
Você dançaria um tango para Alice?            

1 comentários:

Karine Assis disse...

Que tudo, vou ler sim, pode ter certeza... Bem interessante pelo que parece.