quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

E 2013 (finalmente) chegou...


Talvez 2012 tenha sido o ano mais difícil e complicado da minha vida. Teve sim vitórias, como a publicação de Um Neurótico no Divã e as viagens para a divulgação do livro, mas de modo geral...foi tenso! Vivenciei na pele as consequências de quem decide seguir a carreira artística. Falta de grana, dureza geral, dificuldades em abrir certas portas, um bocado de nãos, vontade de desistir de tudo e arrumar um emprego qualquer, sensação de impotência, trabalho árduo, muitas noites sem dormir. 

O artista  deveria ser a pessoa mais respeitada do mundo, pois é por meio da arte que a cultura global se faz. Infelizmente, isso não ocorre no nosso país. A decisão de largar tudo para percorrer o labirinto da arte traz consequências complicadérrimas ao sonhador/trabalhador. 

Os piores momentos são aqueles os quais perdemos nossa força. Sentimo-nos tão fracos para enfrentar as avalanches que vem sobre nós que quase optamos por nos afogar de vez.

Mas aí a tempestade passa, o sol nasce de novo, os amigos verdadeiros se aproximam com uma boa palavra, a biografia de James Joyce, Modigliani, Yourcenar e de outros veteranos te dão novas perspectivas, e você segue em frente de cabeça  erguida.

De modo geral 2012 foi um bom ano para a minha carreira. Tive a oportunidade de fazer várias viagens,  recebi minha amiga portuguesa Helena Magalhães no Brasil e fizemos vários trabalhos juntas, obtive críticas muito favoráveis sobre o Neurótico, fechei contrato com a Modo Editora para publicar Fiona e o Jardim Secreto, ganhei um prêmio literário e produzi muito.

Estamos na primeira semana de 2013 e ainda não dá pra saber o que se seguirá. O importante é manter a fé em si mesmo, continuar estudando os princípios da Lei da  Atração (ela mudou literalmente a minha vida), definir objetivos a longo prazo, trabalhar, trabalhar, trabalhar e acreditar que o impossível também acontece.

Vambora conquistar mais esse ano! :)  

0 comentários: