segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A IMPORTÂNCIA DO AGENTE LITERÁRIO



Hoje gostaria de dar mais uma dica aos autores iniciantes para que possam vencer a batalha da publicação: contrate um agente literário.

Minha corrida pela publicação começou em 2009, quando ainda escrevia apenas poesias e contos curtos. Eu possuía um trabalho belíssimo  totalmente ilustrado por um artista macedônio, mas não estava conseguindo chamar atenção das editoras. E foi aí que o trabalho do agente me ajudou. Diana Lima (minha agente) e eu iniciamos essa jornada juntas. Ela gostou do trabalho, mas como estava muito por dentro da demanda do mercado começou a me orientar a  escrever outras coisas.

Minha agente literária passou a cuidar da minha carreira e a me guiar pela estrada sinuosa do mundo dos livros. Hoje, após quase 4 anos de parceria, estamos começando a colher os frutos do que semeamos.

É claro que essa é uma relação muito delicada e complicada, pois o autor é ansioso e fica preocupado com o futuro da sua obra. Diana e eu já tivemos uma série de brigas! Discussões, mal entendidos, frustrações e dúvidas pra todos os lados! rsrs Mas no fundo nós duas sabíamos que o sucesso iria bater à nossa porta e confiávamos no talento uma da outra.

Eu sempre fui uma autora aplicada no que se referia aos pedidos de minha agente. Era sempre um monte de pedidos/ordens:
- Tamara, preciso de um infanto-juvenil com tantas páginas;
- Tamara, agora a sinopse não pode mais ser desse jeito;
- Tamara, mude os capítulos de tal livro porque está pesado demais;
- Tamara, reescreva sua biografia;
- Tamara, envie trocentas cópias para tal endereço;
- Tamara, traduza tudo pro inglês;
- Tamara,  encaminhe os textos para os beta readers; 
- Tamara, o mercado agora mudou e precisamos de tal tipo de argumento....

E lá ia eu trabalhando dobrado e adequando tudo para que nosso objetivo fosse atingido! E gastando! Autores inciantes prestem atenção: você vai gastar muito! Não dá pra choramingar. Traduzir pro inglês? Paga. Revisar? Paga? Fazer cópias, encadernar e encaminhar pelo correio? Paga. E por aí vai...

No início eu me matava de trabalhar e nada acontecia. Cadê a Companhia das Letras pra me oferecer um mega contrato? E a Record? Por que não sabem que eu existo? Minha frustração ia aumentando e começava a cobrar de minha santa agente que nunca perdia a paciência. rsrs
O trabalho foi árduo, mas hoje atingimos um resultado excelente. Que autor não conhece a jornada épica de Mônica Antunes, a agente literária de Paulo Coelho? Todo mundo sabe o quanto ele brigava com ela, mas ela ficava ali firme, convicta que o representaria para o mundo inteiro. E venceu!

Para início de conversa, um agente literário não vai aceitar fechar um contrato contigo se você não tiver talento. O agente tem olho clínico pra essas coisas e se seu trabalho for fraco, ele não vai te aceitar. Claro que estou falando de agentes sérios, sei que tem muito picareta por aí aceitando qualquer coisa.

Eu mesma atuei como agente literária em Portugal e sei a barra que é! Visitei todas as editoras portuguesas levando o meu material e o material dos meus agenciados e a resposta era sempre a mesma: NÃO.  E olha que eu tinha excelentes autores no meu time, mas não aconteceu. Quando me vi do lado de lá, passei a ter ainda mais respeito pela minha agente. Eu sabia que o meu trabalho estava sendo bem feito e  era muito frustrante ter que dar a má notícia aos meus autores. Fora o gasto que eu tinha! 

Por isso compreendi que não está tudo nas mãos do agente, mas ele é peça fundamental no nosso sucesso. Diana lia todos os livros que eu mandava, dava dicas, orientava, etc. Estava sempre me colocando a par das últimas novidades e enviando sugestões úteis. Mas todo esse processo leva tempo! Foram quase 4 anos até eu conseguir meu primeiro contrato com uma boa editora. 

E durante esses 4 anos de espera eu me aprimorei muito! Então quando olho pra trás, entendo que estava tudo certo. Hoje meu nome está ficando conhecido e já fechei mais 2 contratos para publicação em 2013. Os dois vieram de minha agente literária! Mas até chegar aqui...suamos a camisa!

Por isso leitor, preste atenção: encontre um bom agente literário e confie nele. As brigas e desentendimentos podem ocorrer porque a caminhada é muito longa e o agente vira mesmo um amigo próximo! Mas se você confiar e fizer a lição de casa direitinho, o resultado vem.

Um bom agente vai te indicar revisores, tradutores, contatos, livros,  vai ajeitar seu trabalho, enviar para leitores críticos, te apresentar para as editoras e cuidar da sua carreira. Creio que é um investimento que compensa, mas deve estar ciente de que às vezes virá somente a longo prazo. Tenha paciência.

Por isso a sugestão de hoje é essa: invista no agente para que ele se transforme no empresário de sua carreira. 

E quero deixar registrado aqui meu carinho e gratidão por minha agente. Diana Lima, obrigada! :)   

1 comentários:

Davidson Abreu disse...

Um detalhe do qual ainda não havia prestado a devida atenção.
Mais uma grande dica reforçada pela experiência da autora.