terça-feira, 16 de outubro de 2012

PROCESSO DE CRIAÇÃO DE FIONA E O JARDIM SECRETO





Fiona e o Jardim Secreto nasceu dentro de uma sala de cinema em Vitória/ES, no ano de 2010.  Minha agente literária me havia pedido que escrevesse um livro infanto juvenil para ser apresentado a algumas editoras, mas eu não sabia nada sobre esse tipo de leitura e tive um bloqueio criativo que durou alguns dias.

O nascimento de Fiona em nada se assemelha às histórias que ouço sobre o nascimento de Harry Potter ou de Bella e Edward da saga Crepúsculo. Fiona não foi concebida dentro de um trem e nem veio de algum sonho esquisito que me impulsionou a  registrá-lo. Fiona, ao contrário, nasceu quando botei meus olhos na maior aberração que já vi na vida: The Blue Caterpillar ou a Lagarta Azul de Alice no País das Maravilhas.

O filme de Tim Burton era o maior sucesso  daquele ano e fui com Cláudia Martins, minha melhor amiga, correndo para o cinema louca pra matar a curiosidade. Confesso a vocês que não sou muito fã da obra Carol Lewis. Alice no País das Maravilhas sempre me pareceu um texto confuso, criado por algum doido sem capacidade de criar uma história com começo, meio e fim. É claro que há uns diálogos interessantes, mas nada que me fizesse ler o livro inteiro sem abrir a boca ou sentir vontade de devolvê-lo à estante.

Já o filme de Tim Burton me encantou mais do que o livro justamente pelo fato de possuir uma trama. Maluca e sem pé nem cabeça, mas vá lá... ao menos há alguma história ali. Porém, a única coisa que me fez pular da cadeira e despertou em minha mente a vontade de arriscar um infanto juvenil foi ela: a LAGARTA AZUL! Sinceramente, quando vi aquela lagarta azul fumando cachimbo e prevendo o futuro me empolguei! Se aquilo era possível, então qualquer coisa que eu inventasse seria verossímil. O filme de Burton me fez entender que a obra de fantasia era uma oportunidade extraordinária para penetrar no universo da alta ficção. Saí do cinema animada, entusiasmada e louca para começar.

Mas qual seria a minha trama? Eu escreveria sobre o que? É aqui que entra o segredo... Quando a gente dá sinal verde ao mundo do imaginário, ele se escancara para você. Comecei a ver uma menina em meus sonhos, mas não entendia muito bem quem ela era. Até que a trama apareceu. Sinto que fui abduzida. Na época que comecei a escrever a Fiona eu trabalhava numa Universidade e caminhava da minha casa ao local de trabalho todas as manhãs. Era comum  me distrair na rua levando buzinada no ouvido ou tropeçando no chão. rsrs Quando chegava na minha sala precisava tomar um copo de água fria e pedir a Fiona que me deixasse trabalhar um pouco!

Fiona e o Jardim Secreto foi escrito em 12 finais de semana. Eram os únicos momentos que eu tinha para me dedicar a esse universo fantástico e eu simplesmente adorava! Nessa época comecei a ler as obras mais famosas do gênero como Harry Potter e Coração de Tinta, mas nenhuma delas me interessou. Achei tudo meio bobo, faltava uma mensagem bacana, uma trama que realmente calasse meu coração. Foi então que percebi que Fiona seria algo diferente. Fiona é filha do meu inconsciente, nasceu de meus próprios anseios e de minha busca espiritual. Quando comecei a escrevê-la compreendi que o Universo estava me mandando uma mensagem profunda por meio do Jardim Secreto. E era tudo tão verdadeiro e simples que meu coração pulsava de alegria.

Finalizada a obra começou o processo de busca pela edição e publicação. Foram dois anos  recebendo Fiona e o jardim Secreto de volta. Recebi tantos NÃOS que montei uma pasta na minha caixa de correios para arquivá-los. Viajei para Portugal em 2011 e lá bati em todas as portas. Fiona e o Jardim Secreto foi lida e recusada pelo Grupo Leya, Editora Presença, Bertrand e inúmeras outras. Eu passeava pela cidade do Porto e pensava em  JK Rolling. Ela também  bateu naquelas mesmas portas e recebeu muitos NÃOS.  Caminhei pela Lello&Irmão pensando na autora da obra mais famosa do mundo. Harry Potter levou  sete anos para receber um SIM, felizmente Fiona levou menos tempo. 

Mesmo acumulando nãos jamais desisti de acreditar na beleza da obra. Intimamente eu sonhava que uma grande editora compreenderia o potencial do livro e apostaria na edição. Mas o que aconteceu superou as minhas expectativas. No início desse ano  recebi  o convite de publicação da MODO EDITORA. A Modo é uma editora jovem, dirigida por profissionais altamente qualificados e apaixonados pela literatura. Adriana Vargas, a editora chefe da Modo,  também é uma escritora e conhece  bem as dificuldades dos autores em colocar seu nome no mercado. Por esse motivo eles dão todo suporte aos autores e sentimo-nos muito bem cuidados. Além do ais,a MODO editora atualmente é uma das melhores editoras especializadas em literatura fantástica do país. A equipe que trabalha com eles é de primeira!  Fiona e o jardim Secreto será lançado pela Modo em 2013 em allto estilo. Vocês verão uma superprodução no mesmo nível das obras internacionais. 

Não quero parecer arrogante ou esnobe, mas eu garanto a vocês que Fiona e o Jardim Secreto é uma obra superior a muitos títulos internacionais disponíveis no mercado. Foi considerada melhor do que Alice no País das Maravilhas por leitores críticos portugueses e por jovens leitores brasileiros que tiveram acesso ao original. Houve aprovação unânime dos leitores meta (leitores que testam os originais antes da obra ser apresentada ao grande público).

Por tudo isso é que apresento a vocês minha nova obra FIONA E O JARDIM SECRETO. Estará disponível nas livrarias do país no primeiro semestre de 2013 e tenho certeza que vai conquistar leitores de todas as idades e nacionalidades, pois é uma história que fala mais ao alto ao nosso coração.

"Um cavalo alado capaz de transitar entre dois mundos; um jardim estranho com flores que podem revelar o futuro; uma rainha louca obcecada por dinheiro e poder; um dragão fora de controle; uma cidade medieval perdida em Lugar Nenhum..."

Vem aí FIONA E O JARDIM SECRETO.

Lançamento Modo Editora 2013.

 

2 comentários:

patricia calhau disse...

Tamara, adorei saber um pouquinho sobre o processo de criaçao de FIONA. beijao

Tamara Ramos disse...

Obrigada, Patrícia! Quando a gente compra um livro na livraria, não faz a menor ideia de todo caminho que ele percorreu antes de chegar ali. Por isso gosto de compartilhar essas histórias de bastidores. Bjs