quarta-feira, 27 de junho de 2012

MELANCOLIA



O filme Melancolia do dinamarquês Lars Von Trier nasceu como fruto do processo de cura de uma forte depressão vivenciada pelo diretor. Apocalíptico e extremamente profundo, Melancolia fala sobre mitos, convenções, normalidade e liberdade de uma forma tão intensa quanto desconfortável.

A história de Justine, Clair e John tira de todos nós a falsa sensação de segurança e nos faz refletir sobre o nosso mundo caótico interno.

Melancolia é um planeta maior do que a Terra que está prestes a passar por nós e há forte possibilidade de destruir a nossa casa no sentido tanto físico como figurado. 

Justine é uma jovem depressiva que não consegue se adaptar aos padrões sociais. O filme começa mostrando sua festa de casamento onde ela chega duas horas atrasada e tira todos os presentes da sua zona de conforto. A festa luxuosíssima e preparada com roteiro rígido - a hora da dança, a hora de cortar o bolo, a hora do discurso, a hora do jantar, tudo previamente elaborado - cai por terra quando a noiva, exausta de sorrir e mostrar uma falsa felicidade, assume sua identidade original: uma personalidade melancólica.

Todo o dinheiro, amor e promessas de um futuro seguro e estável não conseguem despertar uma felicidade genuína na jovem noiva. Ela tenta executar tudo à perfeição, tenta corresponder à todas as expectativas que os familiares tem sobre ela, mas falha de forma irreversível. Neste momento Lars Von Trier dissolve o mito do casamento como um passo definitivo à realização pessoal. O rito de passagem de Justine  de solteira para mulher casada a frustra terrivelmente.

A inaptidão de Justine de ajustar-se às regras sociais causa um transtorno profundo em seus familiares gerando vergonha e irritação em todos os presentes. 
A insatisfação crônica de Justine acaba por adoecê-la, e sua doença é como um passe-livre para que possa experimentar sua liberdade. É como se a doença mental fosse a única justificativa para que se possa romper com todas as normas sociais e viver do nosso jeito sem a represália da sociedade.

Sua irmã Claire é o seu oposto. Claire vive num mundo organizado onde tudo funciona perfeitamente. Mas ela se desestrutura diante da possibilidade do fim de seu próprio mundo que pode mesmo acabar com a passagem do planeta Melancolia pela Terra. No mundo de Claire não cabe improvisos, e por este motivo ela fica descontrolada com a ideia de perder totalmente o controle sobre sua vida pré-moldada.

John, marido de  Clair, é um cientista com respostas para tudo. É uma metáfora do homem arrogante e prepotente que acha que tem poder sobre seu próprio mundo e pelo mundo ao redor. Durante todo o filme John é visto como um homem lúcido, mas no final não suporta encarar a falha de seus cálculos matemáticos e é o primeiro a sucumbir.

A convivência dos três é difícil porque cada um deles vive numa realidade individual e todos tem dificuldade em compreender as necessidades e o ponto de vista dos outros. Encerrados em seu próprio universo, Justine, Claire e John é uma micro representação da sociedade e seus distúrbios inerentes.

O planeta Melancolia criado por Lars Von Trier é outra metáfora para nos fazer refletir sobre o fim dos nossos mundos perfeitamente idealizados, e por isso mesmo, tão frágeis. Se o planeta Melancolia se chocar com a Terra não haverá um único lugar onde ser humano algum possa se esconder ou se salvar. Este fenômeno de destruição apocalíptica ocorre sempre quando nossos sonhos são lançados por terra. Por mais que você se esmere em construir uma redoma perfeita e segura para viver, ainda assim ela não suportará o choque de algo imprevisto. O planeta Melancolia representa todas as rupturas que vivenciamos de tempos em tempos nas nossas vidas. 

Ao final Justine, a mais frágil das personagens, torna-se a mais forte porque seu mundo interno já está desconstruído. O caos é seu meio ambiente natural. E a possibilidade de uma explosão que bote tudo sob nova perspectiva pode ser a solução para seus problemas. 

Melancolia é filme obrigatório para todos aqueles que estão buscando respostas fora dos questionários convencionais. Assistam.     

0 comentários: