domingo, 29 de abril de 2012

O QUÊ ESTAMOS PROCURANDO?



"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos".
Fernando Pessoa


"Tenho pensamentos que, se pudesse revelá-los e fazê-los viver, acrescentariam nova luminosidade às estrelas, nova beleza ao mundo e maior amor ao coração dos homens".
Fernando Pessoa



Sinto que meu corpo e  minha alma estão sendo quebrados como se fossem um mero vaso feito de cristal. Nada do que era antes pode ser encontrado ou reconhecido por quem me procura. É difícil para mim compreender o orgulho humano. Por que é tão raro encontrar pessoas que reconheçam  seus erros ou estejam cientes de sua própria ignorância? Como podem não ver a beleza na flexibilidade do pensamento e no eterno aprendizado? É tão mais fácil agir como estudante! Sou uma aluna aplicada  estudando com afinco novos caminhos. Aquilo que parecia certo ontem, bota-me em dúvida toda manhã. Minhas verdades, certezas e visão de mundo estão sendo testadas. Sou um ser humano em mutação buscando uma transformação mais plena.

Faço uma autoanálise. Reflito sobre as escolhas dos ultimos cinco ou dez anos. É claro que houve avanço em algumas áreas, mas em outras parace que perdi tempo circulando ao redor de um eixo falível. Minhas  convicções cegas levaram-me a repetir escolhas antigas. E quando escolho sempre  a mesma coisa, não saio do lugar. E então percebo que é tempo de tentar algo diferente. Talvez uma escolha  nova me abra um novo caminho, mais  satisfatório,  mais completo, mais  feliz. 

Venho passando por esta transição há algum tempo, mas sinto que ela se fortaleceu há poucos meses. É como um renascimento. Sinto-me como se contasse apenas sessenta dias de idade. Venho buscando a sabedoria e a verdade desde minha juventude, mas somente a encontrei pessoalmente por meio de Salomão. Tenho estudado a fundo os motivos  da ciência e da religião, e  só agora percebo que ambas estão flertando e desejando um diálogo. 

No documentário de ontem à tarde vi nossa galáxia em terceira dimensão. Vi um buraco e uma energia negra que se atraem e se repelem continuamente  para que a ordem do Universo seja mantida. Vi luzes de estrelas que já se apagaram há centenas de anos. Acompanhei  cientistas dedicando a vida para compreender o que havia antes de tudo ser formado, pois é muito difícil  acreditar na existência do nada. 
Estudei a física quântica e a lei da atração. Compreendi o poder  criativo do nosso pensamento e  a possibilidade de remodelamento das conexões cerebrais. Estudei sobre os homens perversos e sobre os homens bons. Encontrei paradoxos em quase tudo, mas não me abalei. 

Hoje estava assistindo a um documentário sobre os lugares citados no Antigo Testamento e o apresentador estava  procurando um pedaço da Arca de Noé. É evidente que ele não encontrou, mas após refletir por um momento ele se perguntou: - Mas afinal, o que é  que estou procurando?  - A conclusão que ele chegou era de que sua busca era interna. Encontrar ou não a arca de Noé  não faz a menor diferença! Não foi por ela que ele viajou até ali.

Levantei às cinco da manhã e perdi o sono. Peguei um dos muitos livros que habitam o lado direito da minha cama e mergulhei  em mais uma jornada literária. Encontrei respostas para perguntas que apenas meu subconsciente sabia que eu fazia, e descobri que nenhuma de nossas perguntas morrerá sem resposta se tivermos olhos para ver e ouvidos para ouvir. Porque está tudo aí. Suas respostas virão nos sinais, nos sonhos, nos livros, nos filmes, nas palavras de um amigo ou até mesmo aqui neste blog.

Eu estou estudando e me preparando para escrever minha próxima obra. Parece mentira, mas desde o momento em que fui inspirada a escrevê-la, uma série de eventos sincronísticos começaram a acontecer. Tudo, mas mesmo  tudo, o que eu precisava  veio a mim. Livros, informações  necessárias,  ideias e dicas.  Não precisei ir muito longe para encontrar. Para mim isso é um reflexo  da minha conexão. Quando estamos em paz com a vida e com nós mesmos, abrimos um canal.

No ano passado  estive duas vezes no Santuário de Fátima (Portugal) e  na Catedral de Santiago de Compostela (Espanha) e em todas as vezes orei para que eu não me desviasse do caminho que me traria sucesso, prosperidade e  paz. Hoje compreendo com muita clareza, gratidão e humildade  que minhas preces foram mesmo atendidas. Os caminhos que estão se abrindo para mim são infinitamente maiores do que aquele por qual orei.

Portanto  eu lhe pergunto: o que  você está procurando? Qual o motivo pelo qual você trabalha, cria, se esforça, estuda, etc? O que pretende encontrar? No momento estou sedenta por sabedoria. Dedico horas e horas do meu tempo à ela. Salomão diz que a sabedoria ama os que a procuram, e que  vem a eles num piscar de olhos. Ele diz que quem a procura a encontrá sentada na porta de sua casa à sua espera. Este é meu propósito atual. Salomão nos revela que ao pedir  sabedoria , todo o mais lhe foi dado. 

Sugiro ao meu leitor que medite um pouco sobre aquilo que está buscando. Quem não sabe o que está procurando, nada poderá encontrar.     

Boa semana para todos.  

0 comentários: