quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

(DES)AMOR E ESQUECIMENTO




"Se sou amado, quanto mais amado

mais correspondo ao amor.

Se sou esquecido,

devo esquecer também,

Pois amor é feito espelho:

-tem que ter reflexo."



No exato momento em que escrevo essas linhas, ouço um bolero triste que vem da janela do meu vizinho de baixo. Pelo tom trágico da música, meu vizinho deve estar sofrendo muito. Ou então é apenas um masoquista excêntrico que gosta de reviver o sofrimento. Sei lá, tem de tudo nesse mundo.


Esta semana foi um festival de dor. Parecia a premiação do Oscar dos desesperados. Todo mundo infeliz sendo vítima de insensíveis. O discurso era sempre o mesmo:

- Como ele pôde fazer isso comigo?

- Como ela pôde dizer aquilo?

- Como ele conseguiu mentir tanto?

- Como pode ele ter dito que me amava e agora estar casando com outra assim tão rápido?

- Como pode? Como pode? Como pode?


É evidente que não sou imune a dor, é claro. Mas de alguma forma esquisita e mórbida, consegui desenvolver uma técnica de anti-sofrimento que tem funcionado muito bem. Para começar, tenho certeza absoluta de que o sofrimento é uma escolha pessoal. Gente, se a situação está ruim para o seu lado, NÃO INSISTA!. Saia correndo, fuja para bem longe , desapareça. Por que é tão difícil largar de mão um amor bandido? Vamos lá, alguém me explica?


Tenho olhado ao meu redor e tenho até perdido a fome (o que é sempre ótimo, porque emagrece). O marido de uma amiga surtou e descontou tudo no filho de seis anos. O outro enlouqueceu e fugiu de casa. Um outro optou por continuar um casamento cretino que faz dele o maior corno chifrudo da história. Uma mulher linda, deixou o marido para viver com outrA. Outra amiga culta, bonita e inteligente, largou tudo para correr atrás de um taxista casado. Uma outra prefere ficar presa a um casamento falido por medo de não encontrar mais nada. Sinceramente? É a treva.


Tenho pensado muito sobre esta visão romanceada do amor. Foi na Idade Média ou no Renascimento (já nem sei a data certa) que começamos a unir o amor ao sofrimento. E esta foi a pior das nossas invenções. Casamento antes era apenas um meio de unir patrimônio e poder. Era mesmo um negócio discutido entre parentes para preservar aquilo que a família havia construído. Beijo na boca então...o primeiro apareceu no início do século 19. Antes disso era anti-higiênico beijar na boca porque não havia escova ou pasta de dentes e a boca era suja, fedida e cheia de bactérias. A monogamia também não tinha nenhuma relação com amor, era apenas um meio de preservar bens e garantir o futuro de certa árvore genealógica. Então, porque damos tanta atenção ao recente problema do coração?


Gente, relacionamento só serve se nos faz feliz. Se está dando problemas, se está te prejudicando, se está te tirando o sono e o apetite, é porque você está investindo sua energia na coisa errada.


Precisamos aprender a ver os outros não como uma projeção daquilo que desejamos ou um objeto de posse que seguramos, mas como indivíduos com crenças, valores, nível cultural, inteligência (ou falta dela) e necessidades diferentes das nossas. Se você está preso a alguém que não tem nada a ver com você, está projetando algo irreal sobre o outro. É pura fantaia da sua cabeça.


Mulheres prestem atenção: há homens que são covardes, outros são mulherengos, outros são incapazes de sustentar a si mesmos, outros são cornos e adoram os chifres que possuem, outros são neuróticos, outros são mentirosos, outros tem 3 casamentos falidos nas costas; e quando você detectar algum destes sinais neles, CORRA! Corra sem olhar para trás. Porque eles não vão mudar, não vão se tornar diferentes, não serão bons o suficiente para você.


Homens prestem atenção: Há mulheres que só querem dinheiro e proteção financeira, outras são fúteis ao extremo e só se interessam pelo passeio no shopping, outras tem compulsão em botar chifres na sua cabeça, outras são mães desnaturadas, outras cantam até o seu melhor amigo, outras são dependentes da mamãe, outras não gostam de trabalhar e tem ainda outras que são preguiçosas. Portanto, quando detectarem isso nas mulheres , CORRAM! Largue esta ideia estúpida de que beleza supera a imbecilidade. Não supera. E em pouco tempo você estará infeliz e nem saberá porque. Não adianta nada ser casado com a Barbie e ter que dividi-la com trinta Kens.


Eu escutei tanta barbaridade nestes últimos dias, que este post veio que como um desabafo. Acrediem, eu acredito que um relacionamento possa ser bom. Acredito que há pessoas compatíveis que se completam e que podem viver juntos sem grandes problemas. Mas tem que ser a pessoa certa. Pelo amor de deus, vamos parar de investir tempo e energia na pessoa errada. Isso só vai te desgastar, mais nada.


Dê um basta nos abusos agora mesmo. Vai lá na droga do facebook e bloqueie o homem ou mulher que só te traz problemas. Eles não precisam saber que você está sobrevivendo muito bem sem eles e que até já encontrou um novo namorado. Não é da conta deles. Exclua do msn, skype, e-mail. Elimine essa pessoa da sua vida. Siga para frente. Não caia na besteira de ficar dando segunda, terceira, quinta ou décima oitava chance. Se você foi corno, meu bem, é evidente que será outra vez. Se você foi enganada, minha querida, é óbvio que outras mentiras virão. Previnam-se.


Ao invés disso, botem energia em algum projeto novo, reinvente a si mesmo, faça uma viagem sozinho (é o máximo, eu garanto), leia um livro diferente, saia, dê uma chance para aquele rapaz bonitinho que vive te chamando para sair, leia Reich , faça ginástica, fique linda e esqueça a tragédia que aconteceu na sua vida.


Ainda estamos no segundo mês de 2012, vai? Ainda dá tempo de começar outra vez e ter um ano novo repleto de vitórias. Só depende de você.

4 comentários:

Cláudia Martins disse...

Amiga amei o texto especialmente porque cita a minha própria vida. Vc só esqueceu de colocar que o "palhaço" que jogou um monte de merda na cabeça de uma criança de 06 anos é um grande covarde, pois criança não tem como se defender de psicopatas, especialmente uma criança que é criada com todo o amor e dedicação de uma grande mãe que faz o papel de pai e mãe.

Tamara Ramos disse...

Amiga, a maioria dos palhações tem problemas mentais, isso já está subentendido. Nós temos é que tocar para frente bem longe essas pessoas tóxicas.

André Eiji disse...

Li e gostei, mas em alguns pontos discordo. Fico por aqui desejando-lhe meus parabéns pelo blog. Está impecável.

Tamara Ramos disse...

Olá André, obrigada pela visita. Discordar é bom porque mostra que temos senso crítico. A proposta do texto foi alertar as pessoas das projeções românticas erradas que fazemos sempre. O amor pode dar certo, mas temos que estar atentos para não investir tempo e energia na pessoa errada. Se as brigas e as frustrações são mais constantes do que a alegria e a sensação de aconchego, é melhor partir para outra! :)