domingo, 6 de janeiro de 2008

Herói

Estava avesso à tudo ao transferir atitudes de medo
E sentir ecoar o som da última batalha do norte
Carregando no peito angústias tímidas
Sem assumir a própria deficiência
O limite

Fazia tempos que operava a busca insana
Se perdia e se encontrava nos fundos da velha casa
Nada a tinha a perder que à alguém já não tivesse sido entregue
Sem olhar no alto espelho
O pavor

Vivia de elaborar novas rotas
Queria chegar primeiro
Da estrada vil trouxe aos bolsos areia
Da terra plana nada de novo
O silêncio

Perto de agosto já não havia mais história de histeria
A calma perecia nos armários sagrados
A fronte sempre séria contava os dias insones
A pressa sempre aflita a escavar trevas e luz
O medo

enviar recado cancelar